conto de um ex-amor

26/04/2020

Foto: Pinterest 

"Quando te vi entrando naquele salão eu quase não acreditei. É surreal como guardo sempre a sua melhor imagem e toda vez que eu te vejo, você tá ainda melhor do que a que tenho. Parece que a festa toda parou no momento em que você passou por aquela porta. Talvez naquele momento a festa tenha parado mesmo, para mim e para mais uns quatro caras que param de comer, beber e conversar para te acompanhar com os olhos enquanto você atravessava o corredor lentamente. Eu queria muito que aqueles passos estivessem sendo na minha direção, mas a verdade é que você nem sabia que eu tava ali.

Fazia semanas que eu tava pensando em você, que a minha decisão de ter te deixado partir começou a não fazer sentido pra mim e hoje quando eu te vi eu juro que eu não faço a menor ideia de por quê eu quis isso. Eu não soube te ter. Você tentou me avisar tantas vezes.

Eu até entendia que você tava me alertando de um possível adeus, mas eu não liguei. Achei que te ter por algumas horas no meio da minha semana a noite, quando ninguém tivesse olhando era suficiente, mas não é. 

Esses dias vi uma coisa que foi um total gatilho pra mim e eu tô dando um tiro no meu próprio peito agora, admitindo em voz alta dentro da minha cabeça que eu quero você.


Era um churrasco na casa de um amigo e lá estava ele com a esposa. Poucas vezes na vida vi um homem feliz daquele jeito num relacionamento e comecei a observar os motivos, percebi ali detalhes que eram familiares, mas que vivi de uma forma muito sutil. Era maravilhosa a forma como ela era com ele, como ele devolvia a ela essas coisas boas em forma de carinho e respeito e via o quanto ele fazia por ela simplesmente por ela ser quem ela era. Dava pra perceber no tom da voz dele o quanto ele se orgulhava de ter ela do lado e do quanto ele era feliz por dividir tudo com ela. A vida que ele nos apresentou ali naquela reunião me fez entender porquê a melhor parte do dia dele era voltar pra casa. Eu senti inveja.

Não inveja por cobiçar a mulher do meu amigo. Não. Inveja porque eu poderia estar vivendo algo parecido e desperdicei. Nesse dia quando parei pra pensar na pessoa com quem dividiria a vida, eu percebi que era você. 

Queria poder te tocar com toda a liberdade de saber que você é minha. Eu sei que eu fui falho e sei que a última coisa que eu merecia era uma nova segunda chance, faz umas semanas que eu tô tentando me convencer de que o teu colo não é o lugar mais confortável do mundo pra mim, mas a verdade é que eu mal consigo deitar na minha própria cama sem imaginar que você nunca esteve ali. Eu sinto falta do calor que faz teu edredom, do cheiro do seu cabelo e do pouco espaço que a sua cama tem, nos obrigando a ficar juntos. Dói pensar que, talvez, eu não seja pra você como você é pra mim. Eu te soltei no mundo e eu já não sei mais quem você é".


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e até a próxima!

 
// Visit helplogger.blogspot.com for more widgets and tricks.