se afoga de ti.

09/01/2020

Foto: Pinterest

     Sabe quando alguém te proporciona algo que você sabe que merecia mais?

     Eu percebi isso no dia em que estava de folga em casa e queria muito que o cara que eu gostava me chamasse pra sair. Eu nem sei dizer quantos finais de semana eu passei sem receber se quer uma mensagem dele, sabendo que ele também tava disponível. Não entendia muito bem o  porquê, ele só não fazia. Um dia, no auge do meu desconforto, eu parei pra pensar de verdade porque aquilo me incomodava tanto, foi quando percebi que eu não precisava estar naquela posição. Eu só queria sair, comer alguma coisa e quem sabe ver um filme com ele. Só. Um Date. Decente. E a minha ficha caiu quando percebi que eu facilmente poderia fazer isso por mim mesma. E se eu me levasse pra sair eu jamais me levaria pra tomar um sorvete e ver um filme qualquer no shopping – pra ver o quanto eu tava cega. Eu me levaria em um café, pediria alguma coisa de forno pra comer junto, algo que eu nunca tivesse ouvido falar. Meu rolê inventado por mim mesma era mil vezes melhor e mais interessante que a ideia de “se der, passo na tua casa pra te ver” (em segredo).

     Às vezes a gente quer tanto estar perto de alguém que acaba terceirizando a nossa felicidade e agregando nosso valor a aprovação das pessoas que nós amamos. E por mais que a gente se esforce, continua parecendo que é insuficiente, que a gente precisa ser bem mais do que a gente é pra poder ter o direito de sermos acolhidos da forma que nós esperamos.

     Primeiro que essa espera nada mais é do que uma projeção romântica feita pelas nossas próprias expectativas sobre algo que gostaríamos de viver ao lado de alguém e muitas vezes – quase sempre – a gente esquece que essa outra pessoa também tem subjetividade, perspectivas e que os objetivos dela podem não ser os mesmos que os nossos.

     Isso é perigoso, como mergulhar em uma piscina rasa.

     Se você está em um relacionamento que te trás uma posição de desconforto é importante repensar e se questionar. Por que você quer estar em um relacionamento? E por que nesse?!

     A gente ter a necessidade de sentir amado e muitas vezes a gente confunde essa carência com precisão. Como se alguém tivesse que ser o motivo de darmos o nosso melhor. Acreditamos que para sermos amados isso precisa de fato ser feito por alguém e que essa pessoa esteja ao nosso lado para lidar com o mundo. Mas e se você não precisar?

    E se o que te falta é uma boa dose de solitude, autoconhecimento e dates consigo mesma?

     Isso não é papo de solteira solitária. Eu tô falando a mais pura verdade. Nós fomos ensinados a ter alguém do lado, que o ser humano não nasceu pra ser só – eu até concordo –, mas ninguém te fala sobre os rótulos que colocamos nas pessoas, muitas vezes sem necessidade.

     Então se você “meio que tem alguém ao seu lado”, mas sente como se não tivesse, talvez você só esteja gastando tempo e energia com alguém que não soma em nada e o que você mais precisa pra ter os seus dias mais preenchidos nem seja dessa pessoa (ou de outra), mas sim de você.
     Mergulhar em si mesma significa não gastar seu tempo com pessoas rasas, enquanto você pode se proporcionar momentos de muito mais significado. Onde você pode se dar muito mais do que aquela pessoa. E é isso. Tu és muito melhor pra ti do que alguém que não sabe aproveitar a tua companhia.














Como vou me organizar em 2020!

03/01/2020

      Ano novo, metas, projetos e agenda nova!

     Esse ano mais uma vez optei por utilizar o Bullet Journal. Esse é o método mais eficiente pra mim quando se trata em produtividade e organização (em vários sentidos). Tanto com compromissos quanto com mudança de hábitos, etc.

     Pra quem não sabe o Bullet Journal nada mais é que um caderno em branco onde você vai
personalizar a realização das suas atividades de acordo com as suas necessidades. Esse método te possibilita ter mais foco em compromissos que realmente são mais relevantes pra você e necessitam de um certo controle. Como atividades físicas, estudos, hobbies, etc.

     Geralmente eles são em formato A5, com páginas lisas, pontilhadas ou quadriculadas. Existem vários tipos de cadernos próprios para BuJo, mas você pode fazer facilmente com um caderno normal, como eu fiz o meu primeiro bullet.

     Esse ano eu optei por um caderno simples da marca West Village, que é muito fácil de ser encontrada e tem um preço super acessível. Existem cadernos de vários tipos, e com isso de vários valores também. Este custou R$ 21,50 numa papelaria física. As páginas tem 9g e são todas quadriculadas.

     Eu decidi comprar este primeiro pelo design simples, rosê metalizado, sem desenhos ou enfeites. Mas principalmente pelo desafio de trabalhar meu planejamento num caderno totalmente diferente ao que eu estava acostumada. Eu achei que em algum momento as linhas poderiam me incomodar, mas foi totalmente o contrário. Eu estou gostando muito, muito mesmo. Tanto quanto o caderno pontilhado.

Meu Bullet Journal 2020


Bem-vindo 2020!

01/01/2020


HEEEEY EY EY! FELIZ 2020!!!
Pra começar esse novo ciclo de posts no blog, vamos de calendário sazonal. Mas não é qualquer calendário, aqui vão datas bem legais para você comemorar ao lado das pessoas mais especiais!

Não tenha medo de fazer do seu jeito.

16/12/2019



     Talvez eu tenha muito medo de ser julgada.

     Hoje eu tomei a decisão de que eu teria e preciso de um momento de mais introspecção, ou pelo menos, pequenos momentos durante o meu dia e na minha semana.
     Pensar demais nas pessoas estava me fazendo mal, me desgastando, não tava sendo saudável. Eu preciso conhecer os meus limites, conhecer até onde posso deixar as pessoas entrarem, até onde eu posso dar a liberdade para o que me falam e o que fazem quando se trata de mim.

     Eu preciso separar um tempo para minhas referências. Eu tenho tão pouca convicção nas coisas que eu gosto, que isso me faz sentir insegura na hora de estar com as pessoas. Preciso ter mais concentração e foco nas coisas que eu gosto, nos meus projetos e nos objetivos que eu sonho pra mim.

     Ser menos preocupada com o que os outros estão pensando. Se as minhas atitudes estão sendo fiéis ao que eu tô tentando repassar. Ou se as pessoas estão gostando ou não de mim.
Eu preciso sentir mais orgulho de mim mesma, por quem eu sou. Mas pra isso, também preciso prestar mais atenção em mim.

     Eu preciso parar de perder tempo esperando mensagens no celular, olhando a vida das pessoas na internet e gastando minha energia com coisas que não vão me fazer evoluir em nada. Tenho que trocar essas coisas por momentos de autocuidado, de estudo, de dedicação ao que me faz sentir viva.

    Escrever me faz bem. Faz eu conseguir entender calmamente pelo que estou passando, pensar nas coisas de uma forma tranquila e chegar a solução. Compartilhar meus pensamentos com as pessoas me faz sentir parte de um propósito. É como se eu estivesse aqui pra isso.

     Acho que esse texto dessa vez é pra me lembrar de que eu preciso pensar mais em mim. Pensar mais nas minhas necessidades, nas minhas oportunidades, no que sou frágil e em como posso melhorar.

 
// Visit helplogger.blogspot.com for more widgets and tricks.